Argumento

O Livro descreve a montagem de um espetáculo teatral. O Grupo que está montando este espetáculo chama-se Núcleo de Teatro Experimental – NUTE. A peça que eles então montando conta a história do NUTE. Ou seja, o NUTE ensaia sua própria história tendo por roteiro o Livro em questão.

 

 

PEÇAS DA PEÇA:  

Leia aqui:

MAQBÉTE – Uma interferência na transmissão”, de Iran Silveira

CriNu e CastiTE”, de Autoria Desconhecida

“O DE PRETO, O DE BRANCO E OS DE CORES ou um, despretensioso, questionamento…”, de Wilfried Krambeck

 “O MONSTRO DE NUTESTEIN”, de Wilfried Krambeck                 

 “Trabalho Sujo”, de Iran Silveira

“O AUTOR ESQUARTEJADO”, de Afonso Nilson

“Que Cheiro é Esse?!?”, de Wilfried Krambeck

 “A Pedidos”, de Giba de Oliveira 

* Comente e/ou vote  seu texto preferido:

 > ir para “Livro”

 

Anúncios

28 responses

5 08 2009
Wilfried Krambeck

Um adendo/epílogo/complemento ou uma faísca atrasada, na forma de um monólogo (agora, devidamente, revisado/melhorado) para a peça “O Monstro de Nutestein”:

MONÓLOGO DO AUTOR TEATRAL
(inicialmente, redigido como um adendo à peça: “O MONSTRO DE NUTESTEIN”)

Por WILFRIED KRAMBECK ( o “HORROROSO”)

O ator entra em cena carregando – permanentemente – um (incômodo) livro, em língua estrangeira e contendo bastante ilustrações, debaixo do braço.

Boa noite, boa noite, boa noite…. Eu… gostaria de me apresentar, eu…. sou o autor desta peça teatral…. então: boa noite!…. Eu quero confessar que estou bastante nervoso e… fico um pouco constrangido para falar em público… é que, como vocês devem saber… eu comecei minha vida no teatro fazendo mímica, depois dava aula, depois fazia direção, e – também – escrevia peças… daí um dia fui me apresentar falando e…. mal comecei, um cara lá de trás gritou: – CALA BOCA! Ô…VIADO… é foi desagradável… e eu, juro, eu não perdôo este rapaz – até hoje – por aquela parte do: “CALA A BOCA!”…. . Bem, já que há aqui tanta gente do… meio… (não é fulano – menciona alguém da platéia)…digo: meio teatral, eu queria aproveitar a ocasião para falar sobre o escrever para o teatro. A peça escrita, em sí, é muito importante, é a base, é o começo de tudo…. apesar de haver alguns diretores que, na montagem, transformam o texto da gente numa…. merda….., desculpe…. numa bosta. Nem todos, é claro… . Eu quero dizer que eu tenho “know-how” para falar sobre isso, poque dos 05 Jotes em que participei como autor eu venci 02 e só não ganhei este último por causa de um (fala bem rápido) vagabundo, safado, sem –vergonha, que melou o prêmio de melhor têxto….(normal) nhammm…..quer dizer: porque optaram por não premiar adequadamente este quesito, nhé-nhé-nhé…… . Bem, deixa pra lá…… Então, eu quero falar – brevemente – sobre 05 aspectos fundamentais para um autor teatral, espero que prestem bastante atenção, pois só vou falar uma vez:
O 1º é este (retira – sempre dos trajes – uma grande folha de papel kraft): é isso mesmo, papel. Sem papel o escritor não escreve nada…. recomendo este tipo de papel pardo que tem menos tratamento químico e você pode comprar por metro, é mais barato. Além dissso, você usa dos dois lados. Uma folha assim dá para uma destas “pecinhas” do Jote… tranqüilo… e se a peça ficar uma bosta, você ainda a pode usar como papel higiênico, em caso de emergência…e neste caso, logicamente, só de um lado….
O 2° é este (retira um lápis): o lápis. É fundamental, sem ele você não escreve, absolutamente, nada. É ecologicamente correto, não é que nem uma caneta que usa petróleo e produtos químicos na composição, não, não…. e você pode usar dos dois lados, não é bacana?… já a caneta, não…..
O 3º, vocês já devem estar imaginando, é este (retira uma borracha): esta não é só para escritor burro, não… é para você não ficar riscando todo o texto, pois ele acabará se tornando in-in-teligível, in-in- teli… in-in-te…, bom: que não dá pra entender, até para um autor inteligente e culto, como eu… né?…e, incrível, você também usa dos dois lados!
Com licença….(retira uma garrafa de óleo de oliva e aplica/espalha, um pouco, no rosto). Vocês não reparem, eu estou me besuntando, é que durante o tempo que fiquei no NuTe eu aprendi que os mais lisos,…. vão mais longe… e eu já fui muuuuuuuito tapado,… e NUNCA, nunca mais quero deixar de ser liso…. eu juro!….
O 4º é este aqui (retira – repentinamente – uma faca e dirige-se, ameaçadoramente, até um espectador): não, não se assuste! Essa não é para matar atores de grupos que falam mal da peça da gente… não…. é para apontar o lápis….. senão, as idéias vem, e a peça fica pela metade…. (dirigindo-se para um espectador em especial, sorrateiramente) …. mas, pensando bem, que não é má idéia matar um ator que fala mal da peça da gente, não é né? Você não acha?…Hein???… Pode falar, é só entre nós dois?….
Bem, para finalizar, todo autor que se preza deve andar com um livro debaixo do braço, é importante…. porque assim os outros acham que ele é inteligente, é culto, não é verdade? Este aqui, por exemplo: é em estrangeiro, (lê com muita dificuldade e desconhecimento da língua) “goter, heuden, unge… unge…ungeheuer….” é , mais ou menos, assim… mas tem bastante figuras, vejam… já dá para ter uma idéia e FALAR BASTANTE sobre o assunto….
Bem, espero que todos tenham entendido os 05 princípios. E, além disso….., é também importante que o autor tenha: (fala bem rápido) criatividade, conhecimento de gramática, do português e cultura geral. Obrigado. (FIM)

12 08 2009
alex

Muito booooomm! Este texto do Monstro de NUTESTEIN.
Para mim é o melhor.

13 08 2009
Ale Quim

Desculpe Alex; mas você leu TODAS as Peças? Acho que não; pois se tivesse lido saberia que a melhor é MAQBÉTE: uma interferencia na transmissão

13 08 2009
Promotor Fritz

Meus queridos; este caso é caso ganho. Um Juri Legítimo foi convocado e escolheu por unanimidade; repito POR UNANIMIDADE como melhor texto CriNu e CastiTE; sem dúvida é o melhor texto; e respondendo o Sr. Ale Quim: quero dizer que sim; eu Li todas as Peças e posso lhes garantir que o melhor texto é CriNu e CastiTe

14 08 2009
Mari

Achei todos os textos bem interessantes, mas um deles é realmente ótimo. Esse do Monstro de Nutestein, dá para saber o que foi o NUTE, como foi criado e como acabou. É o meu escolhido. Beijos.

16 08 2009
Wilfried Krambeck

Fico muuuuuuuuito contente em saber que “personagens” também podem votar……. . Então, eu, quero aproveitar para indicar os meus 03 textos classificados para apresentação como os 03 melhores (um autor deve valorizar sua obra!) e, dentre estas, votar no “Monstro de Nutestein” como o melhor dos 03 e, na seqüência, computar mais 10 votos de personagens famosos, para esta minha querida e – tão espetacular – peça….

Mister “M”
Esta peça “O Monstro de Nutestein” é – simplesmente – mágica. É a minha escolhida. Abrakadabra para as outras, que desapareçam!

Adolf Hitler
Este peça “A Monstra de Nutestein” é a melhor! Nem precisa ler ela e muito menos os outras. A autor é alemón, na título tem um nome em alemón, portanto é superior e fim de conversa. Se alguém discordar vai se ver comigo, no câmara de gás. Tente para ver…

Nero Grande Imperador de Roma
O “Monstro de Nutestein” é o meu predileto, porque põe fogo neste período da história e ao mesmo tempo soa como uma melodia. É, simplesmente, maravilhoso!!!!!!

Conde Drácula
Shleeeeeep, adorrrrrrrei a ambientação do MONSTRO, …… num CASTELO, me arrrrrrepia todo, só em pensar…. pena que não estou nesta história, faria um estrago muito maior do que este tal de Stein… mas mesmo assim….. só pelo castelo, já é o melhooorrrrrrr……

Dom Quixote de La Mancha
Paixão é o que simboliza esta peça encantadora chamada “O Monstro de Nutestein”, apesar de seu nome – aparentemente – duro e forte. Não poderia deixar de considerá-la a melhor!

Clodovil
É crítica ácida, amei!!!!! O que é para se falar, tem que ser dito, não é verdade? Estou contigo e não abro: “Mons-trô”!

Michael Jackson
The “Monstro” is a Thriller, it’s the best. I like it.

Mahatma Gandhi
Agora que li “O monstro de Nutestein” compreendi, em definitivo, as relações de ódio e amor que existe entre as pessoas . Obrigado, irmão Wilfried.

Marco Polo
Em todas as minhas viagens pelo oriente, vi muitas maravilhas, coisas inacreditáveis realizadas pelos homens, porém uma obra brilhante como “O Monstro de Nutestein” , não vi em lugar algum. É mais do que maravilhosa e nem preciso dizer para qual peça vai o meu voto….

Bertold Brecht
Sehr guter Text, das Monster von Nutestein, den hätte ich gerne auf die Bühne gebracht. (Tradução: Texto muito bom,o Monstro de Nutestein, esse eu gostaria de ter montado.)

16 08 2009
Wilfried Krambeck

Desculpe, geeeeente, mas eu quase ia esquecendo do voto dos personagens das minhas 03 peças selecionadas, que – obviamente – também tem direiro ao voto, não é? (São mais 16 votos) Então lá vão:

Monstro de Nutestein
Fico muito feliz que o autor, em momento algum, tenha me descrito na peça. E mais ainda, que o grupo AmaDores – muito perspicaz – tenha feito o mesmo, deixando-me correr solto na imaginação das pessoas. Então só posso elogiar a ambos e dizer que a minha peça foi – sem dúvida, e em todos os sentidos – a melhor do 14º Jote-Titac.

Cientista Stein
No começo não gostei muito não, o autor me esculhambando sistematicamente, mas depois – no final – acabei me dando bem, então, vá lá, eu voto no “Monstro de Nutestein” para melhor texto.

Cientista Alemão
Puxa, sou personagem, sou vítima e ao mesmo tempo sou o autor, é confuso, mas – obviamente e sem dúvida – voto no “Monstro de Nutestein”.

Dr. Cientista Francês
Meu caro Wilfried, você me põe numa situação constrangedora, eu acho todos muito bons, mas enfim, que posso dizer….. tudo bem, fico com teu “Monstro de Nutestein”, mas de coração ma mão….

Cientista Baixinho
Pô, fui eu quem criou – de verdade – a escola do NuTE e o texto deixa isto muito claro, entâo – sem dúvida – o melhor texto é o “Monstro de Nutestein”!

O outro Cientista
Eu também acho…

O terceiro Cientista
E, eu, também….

End Gostbuster
Não tenha dúvidas Wilfried, desde o começo, achei teu texto “O Monstro de Nutestein” o melhor, até por ser o único que me inclui na história do NuTE.

Personagem A
Pois é, cara, a minha peça “Que cheiro é esse?” é muito boa, mas o “Monstro”, cara, tem essa coisa, né…. Então meu voto vai pra ele….

Personagem B
É isso aí, tô nessa, é pro tal do “Monstro”, cara…. Quem sabe o autor goste do nosso voto e alivia a barra da gente, depois de falarmos tanta m….. nesta peça aqui, hein?

O de Preto
Viu essa p…. desse último Jote aí, um fracasso. Aí fizeram essa m…. aí com o texto, agora eles vem com essa de votar, esse nhé-nhé-nhé aí… . Por mim não escolheria nenhum, só que tão forçando a barra…. Então fico com esse menos ruim aí, esse do “Monstro… não sei de lá o quê”, também não interessa….

O de Branco
Puxa, meu caro de Preto, foi maravilhoso esse Jote, congregou pessoas, antigos, novos, gente que nunca havia ouvido falar no Jote e no NuTE passou a conhecê-lo! E o festival em sí, de uma qualidade de atores e técnica como nenhum anterior conseguiu ter, tão equilibrado. O mesmo aconteceu com os textos. Eu, também, não votaria em nenhum específico, mas como parece que todo mundo gostou mais do “Monstro de Nutestein”, vou dar meu voto para ele, também.

O de Rosa
Maravilhooooooooooooooooooooooooooooooooooooooso, o “Monstro”. Adoreeeeeeei. Tem mil perspectivas de montagem. Realmente, loooouco!!!

O de Verde
Cara, maneiro esse texto do “Monstro de Nutestein”, ainda quero montar ele na minha escola, pode?

O de Dourado
Por eliminação, cheguei no “Monstro de Nutestein”, é a história do NuTE inteira e atualizada, contada numa única peça. Sensacional!

O de Roxo
Ah, sei lá… me diz aí, um nome de uma destas peças em que pode votar…. Como?!? Monstro??? É isso?!? Tá bom. Então meu voto vai para esse tal de Monstro, aí…. Agora, me deixa acabar a limpeza…. Pode ser?

18 08 2009
giba de oliveira

Nira, ou, Iran…

Que delícia é ler um texto de sua autoria. Sempre muito preciso e de uma humor ácido sem par.
Peço permissão para encenar a idéia da luta de facas em uma montagem por aqui no Rio.
Em setembro poderemos nos encontrar pra BRAHMEAR na 7 de setembro, que tal?
Saudades de conversar com meu Dramaturgo Blumenauense preferido.
E é óbvio que meu voto é…

MEU VOTO é para MAQBÉTE!

Grande abraço.

19 08 2009
iran / nira

Giba, obrigado, nem sei o que dizer! Com relação à cena das facas, fique à vontade. E, claro, você estando aqui, vamos tomar umas beers CERTAMENTE.
Eu vou preferir não dar meu voto, conforme já expliquei para os realizadores. De qualquer forma, tomara que vença o melhor, e o melhor é…

22 08 2009
Isa

Puxa, Wilfried, eu já conhecia as tuas poesia daquele livrinho que voce me deu uns anos atrás, agora as tuas peças eu ainda não havia visto. Gostei de ler, valeu me ligar. E realmente a do Monstro de Nutestein é muito divertida. Eu também voto nela. Beijos Isa

22 08 2009
Diego Siqueira

Cara a Isa me mostrou teu texto é muito massa. Tem o meu voto também. Valeu.

23 08 2009
Alex

sem comentarios o monstro de nutestein é o melhor sem duvida alguma!
Li todas mas a melhor é a sua wilfried.

25 08 2009
Ale Quim

Olha Alex, eu continuo achando que você não leu nenhuma das peças; acho inclusive que nem essa do Monstro vc leu; e só existe um jeito de saber: se realmente leu diga o que há de “melhor” nessa que não aparece nas outras; porque vc a considera melhor

25 08 2009
Alex

Olha Ale Quim, o meu nome é Alex mesmo, Alex Sandro. E eu vejo que estou falando com uma imitação de um personagem atrapalhado da idade média, mas tudo bem. Eu li TODAS as peças e a melhor é o Monstro de NUTESTEIN. Eu não gosto de ser deselegante, mas sou obrigado a perguntar, e voce LEU todos os comentários? Eu acho que não, pois se tivesse lido já teria reparado naquele daquela moça ou senhora de nome Mari. Ela mostrou exatamente a diferença desta peça para as outras, faço das palavras dela as minhas.

23 08 2009
"alemãozinho"

O
O M
O Mo
O Mon
O Mons
O Monst
O Monstr
O Monstro
O Monstro d
O Monstro de
O Monstro de N
O Monstro de Nu
O Monstro de Nut
O Monstro de Nute
O Monstro de Nuten
O Monstro de Nutens
O Monstro de Nutenst
O Monstro de Nutenste
O Monstro de Nutenstei
O Monstro de Nutenstein
P
Po
Pon
Pont
Ponto
Ponto f
Ponto fi
Ponto fin
Ponto fina
Ponto final

24 08 2009
Alan

Olha pessoal; o Wilfried não é apenas o melhor escritor do Jote-Titac; ele é também o escritor mais lindo; por isso Wilfried eu DOU para você o meu voto;
lindoooo

24 08 2009
Wilfried Krambeck

Muito “obrigado”, engraçadinho… ainda bem que eu tenho “amigos” tão DADOS, né gracinha…

25 08 2009
Viviane

Oi pessoal; eu gostei mais do texto Autor Esquartejado; achei super bem escrito, com problemas da literatura contemporanea, que eu gosto demais; parabens ao autor que nem conheço. Agora esse do Monstro Sem Cérebro; francamente; achei de um mal gosto tremendo. Dá impressão que o cara que escreveu tinha muita inveja de quem inventou esse grupo Nute de teatro

25 08 2009
Wilfried Krambeck

Olá Viviane!
Você fez uma boa escolha, considerando que você se diz fã de literatura e, sob esta ótica, poderia também ter escolhido o “Trabalho Sujo” e “A Pedidos” que seriam – igualmente – uma escolha acertada, uma vez que os três abordam a parte do escrever e interpretar nos jogos de teatro que ocorriam uma vez por ano dentro do NuTE. Quanto à sua crítica ao “MONSTRO DE NUTESTEIN”, respeito-a, contudo sou eu o autor e permita-me esclarecer. O cérebro no “MONSTRO DE NUTESTEIN”, é meramente simbólico – trata-se de uma metáfora para discutir o conflito que existiu, durante um período considerável, sobre a implantação ou não de uma escola de teatro dentro do NuTE, fato que – após alguns anos – acabou se concretizando. Certamente, sendo você fã de literatura, já deve ter lido algum autor que se utiliza de simbolismos para passar suas mensagens, quero crer. E, ainda, quanto ao aspecto da “inveja” dentro da peça “O MONSTRO DE NUTESTEIN”, concordo, poderia passar este tom, contudo se você tem este conceito, sugiro que você leia a peça “Maqbéte ” e, tenho a certeza, que vai ficar horrorizada… . Agora, veja bem – não vamos desvirtuar as coisas, eu – pessoalmente – não tenho nada contra: é lógico que havia sentimentos de inveja dentro do movimento NuTE e não eram poucos. Leia os diversos depoimentos dados pelos ex-integrantes do Nute, do início-meio-fim e constate por si só. Aliás, o mundo capitalista inteiro é movido por inveja – e eu posso falar isso, sou Publicitário formado em Curso Superior -, a inveja é um sentimento intrínseco, uma mensagem subliminar presente, em quase todos os comerciais que procuram induzir você a comprar/trocar um produto ainda útil e em bom estado por outro “melhor”. Por quê você acha que eles mostram pessoas “lindas”, “famosas”, “ricas”, “muuuuuito felizes”, usando estes produtos? O que você acha? Um exemplo clássico, no Brasil, são as constantes trocas de celulares, você nunca foi “motivada” a trocar um que ainda funcionava bem? OK, e quanto ao NuTE, só uma correção, o NuTE não foi “inventado” por ninguém – disto todos aqueles que o viveram tem consciência, o Nute é um MOVIMENTO TEATRAL que só existiu porque dezenas e dezenas de pessoas (das quais muitas pensavam, até, bem diferente umas das outras) foram gradativamente levando este MOVIMENTO até o ponto em que ele chegou. Então, voltando ao “MONSTRO DE NUTESTEIN”, no conceito proposto por este último JOTE-TITAC (14º) – que solicitava os textos relativos ao resgate da história do NUTE, o que as pessoas devem estar notando, não é a “beleza” de uma das 3 peças minhas que foram classificadas para as apresentações, mas sim, que o “MONSTRO DE NUTESTEIN”, conseguiu – sinteticamente -contar esta história do NUTE do início até o seu fim e, adicionalmente, abordar – de forma clara – toda esta retomada histórica feita pelo Édio Raniere na sua pesquisa atual – ou seja, ela conta – simplesmente – TUDO. Além disso, convenhamos, o “MONSTRO DE NUTESTEIN” é muito bem humorado e sarcástico….
Obrigado pela oportunidade, Viviane. Um gande abraço do “Horroroso” (brincadeira,…. era meu pseudônimo para o “MONSTRO….”)

27 08 2009
Ana

O melhor texto é sem dúvida, “CriNU e CastiTE”.
Muito bem escrito!! Empolgante.

30 12 2009
Wilfried Krambeck

Meu caro Édio Raniere!

Mais de 120 dias sem mais nenhum voto, estaria a votação terminada?????

O resultado – por ora – está assim:

O MONSTRO DE NUTESTEIN = 33 votos (07 pessoas e 26 “personagens”)
Máqbéte = 02 votos (02 pessoas)
Crinu e Castite = 02 votos (01 pessoa e 01 “personagem”)
Autor Esquartejado = 01 voto (01 pessoa)

Estamos no aguardo…

Abraço

1 04 2010
Édio Raniere

Parece que sim, caro Wilfried; e agora o que propões?

4 06 2010
Wilfried Krambeck

Meu amigo Édio Raniere!
Você, finalmente, assumiu a autoria de CriNU e CastiTE… propôs a votação popular… é o organizador do 14º JOTE…. te devolvo a pergunta: e agora, o que propões?!?!?

18 06 2010
Édio Raniere

Através dos poderes que me foram conferidos, concedo a Wilfried Krambeck, o PRÊMIO DE TEXTO POPULAR do Jote-Titac: experimentando Nute, pelo texto “O Monstro de Nutenstein”.

9 07 2010
Édio Raniere

As sete pessoas, os 26 personagens que votaram à favor e – obviamente – também o autor do texto “O MONSTRO DE NUTESTEIN” agradecem ao presidente da comissão organizadora do 14º Jote-Titac (Édio Raniere) pela escolha do referido texto como o Mais Popular do Festival. O autor, inclusive, sente-se enlevado com o premio pelo qual foi agraciado, pois foi exatamente esta a maior característica da grande maioria de seus textos inscritos em inúmeros antigos Jotes – a popularidade -, considerados os textos vencedores do autor e os não vencedores, inscritos nos mesmos.
Grato a todos pelo “lobby”!
Wilfried Krambeck (Autor da obra premiada)

3 07 2010
iran

Parabéns ao Wilfried, mas “Prêmio de texto popular”?
Pois então concedo a mim mesmo o “Prêmio de texto erudito”.
(desculpa a sacanagem, Édio!)

9 11 2010
Rosa Lizana Hernandez

Oi amigos!
Tenho contos, muitos deles. Podem ser lidos em meu SITE. Se algum deles serve para adaptaçãpo teatral, eu ficaria honrada. Feliz. Enviaria para vocês. Um abraço.

10 11 2010
Édio Raniere

Rosa, muito obrigado pela possibilidade; colaborações são sempre bem vindas. Nosso trabalho aqui é contar a história do Núcleo de Teatro Experimental (NuTE). Já foram publicados os três primeiros capitulos desse livro: 1 Prólogo, 2 Segundo Ensaio, 3 Terceiro Ensaio. Quero então te fazer uma proposta: escolha um desses capítulos, baixe do blog, leia com calma e escreva um Conto sobre algo que te atravessar durante a leitura. Se esse conto for sobre o NuTE, me comprometo a publicar aqui no Blog. Que tal a idéia?

abraços

Édio Raniere

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: